Saturday, October 07, 2006

Meu autógrafo

By Raquel
Se existisse japonês analfabeto, e eu acho que não existe, ele não precisaria sujar o dedo para "assinar" o nome, como acontece no Brasil.

Japonês não assina mesmo. Aqui, todo mundo tem um carimbo com o nome. Em japonês fala-se inkan ou hanko.

Na hora de abrir conta no banco, fazer contrato de aluguel, comprar casa, ninguém assina, carimba. Sei lá por que é assim, mas quando cheguei aqui também tive de fazer o meu carimbo.

Mas imagino que o inkan não seja obrigatório para os estrangeiros porque só uso esse carimbo na minha empresa, de resto, todo mundo me deixa assinar.

No início achei esse negócio de carimbo muito arriscado. Não seria muito mais fácil de falsificar do que assinatura? Qualquer um pode ir lá no carimbeiro e mandar colocar o nome que quiser! Sem contar que esses carimbos estão à venda nas lojas de ¥ 100 (o 1,99 japonês). Mas lá só tem os nomes mais comuns como Tanaka, Suzuki etc.

Alguém me explicou que não é bem assim porque para um carimbo valer tem de ser registrado na prefeitura. É como se fosse a nossa firma reconhecida.

E como o japonês faz quando vai para o exterior? Afinal, fora do Japão, o inkan não vale nada. Fui perguntar pro meu colega Kuni, um japonês bem viajado. Tivemos um papo rápido no messenger.

Raquel: kuni, voce tem assinatura? Rubrica?

Kuni O: nao

Raquel: e como voce fazia no Brasil? So escrevia o nome normal, ne?

Kuni O: sim

Kuni O: em japones

Kuni O: como assino no cartao de credito

Raquel: em kanji?

Kuni O: sim

Raquel: no Brasil???

Kuni O: sim

Kuni O: em qualquer parte do mundo

Raquel: seerio?

Kuni O: eh bom q ninguem imita

Raquel: e como eles reagim no Brasil quando viam os seus desenhinhos?

Kuni O: bom, aquela reacao comum

Kuni O: "eh japones????" o que é essa letra? aquelas perguntas todas

Raquel: que engracado! Todo japones assina em kanji quando esta no exterior?

Kuni O: nao digo todos mas acho q sim pelo menos no caso de cartao de credito tem q ser igual ao que tah no cartao ne?

Kuni O: por isso

Raquel: Entendi. Mas em outros casos, por que nao assina em romaji (o alfabeto romano)?

Kuni O: pq nao tenho assinatura

Raquel: mas por que nao escrever Kunihiro Otsuka simplesmente?

Kuni O: as vezes escrevo sim. quando eh coisa simples, tipo ficha de hotel

Raquel: no brasil, alem de cartao de credito e ficha de hotel, o que mais voce tinha de assinar?

Kuni O: nao tinha muita coisa nao

Kuni O: nunca tive problema

Kuni O: pq vc tah fazendo essas perguntas?

Kuni O: pro blog?

Ainda bem que o Kuni não pergunta: "É pro Fantástico?"

12 Comments:

At 11:50 AM, Blogger Karina Almeida said...

adorei o bate-papo com o kuni!

ate a parte do carimbo registrado, eu sabia. mas nunca tinha pensado como os japoneses assinam fora do japao.

e nunca imaginaria que eles assinassem em letras japonesas!

agora, fico imaginando a cara de quem leu a assinatura do kuni la no brasil. deve ter chegado em casa e contado pra esposa:

- bem, voce nao sabe o que eu vi hoje!

- o que, amor?

- a assinatura de um japones!

- nossa, jura?

- eh verdade! ele fez um monte de risquinho la, que so ele mesmo entende. mas se ta igual no cartao de credito (eu acho), deve ta certo ne?

- ai, traz o papel! eu quero ver!

- ta bom. hoje a noite eu vou tentar pegar o papel. se nao, eu tiro xerox.

 
At 11:53 AM, Blogger Karina Almeida said...

oops. agora que eu vi que o link na palavrinha "kuni" vai parar la no meu japao :D

como diria a shigeka, ai que tudo!

brigadissima!

 
At 9:17 PM, Anonymous kuni said...

Que esperta voce, hein!! Voce acabou me entrevistando antes da Karina, que vem me pedindo faz tempao. Espero que ela nao te imite. Sobre o inkan registrado, a gente soh registra o carimbo na prefeitura pra comprar casa, por exemplo. Para abrir conta bancaria, como voce sabe, nao precisa de registro. Mas quase sempre que agente bate carimbo em algum documento, assinamos tambem ao lado. Os analfabetos japoneses tambem tem que aprender a escrever pelo menos o nome...

 
At 9:23 PM, Anonymous karuzo said...

Interessante sua pergunta, mas que os japoneses assinam em kanji, eu aprendi no Brasil qdo trabalhei em hotel e eles pagavam com cartao de credito. Alias aprendi muitos nomes assim. Qdo eu nao conseguia ler em japones, eu colava da ficha do hotel(rs). Minha esposa tbm disse que sempre assinou em japones, mesmo no Brasil, e sempre rolava as perguntas do tipo "vc e japonesa?", "isso e japones?". Nos casos mais extremos, qdo o balconista reconhecia que era japones, ele entao passava a desconfiar se ela entendia portugues, disse ela. PS. Cliquei em "Kuni" e apareceu a foto de um menino simpatico. Confesso que por dois segundos eu imaginei o que vai pensar quem nao conhece o Kuni hj...rs

 
At 12:24 AM, Blogger Karina Almeida said...

PARA KUNI
voce esqueceu que disse que nao ia me dar entrevista? e que ateh me sugeriu outro japones?

da proxima vez, vou fazer igual a raquel. entrevisto primeiro e depois conto que eh entrevista. pro blog!

esperta mesmo, raquel. parabens ; )

e, kuni, voce reparou que so da voce nos blogs? no meu, no da gisele, no da raquel...

voce vai acabar ficando famoso! hihihihi...

 
At 11:03 AM, Anonymous Raquel said...

Para Karina: que imaginacao voce tem! Achei muito engracado a conversa de casal que voce inventou. E deve ter acontecido mesmo!

Para Kuni: te entrevistei sem querer! Juro que nao foi esperteza de jornalista. Fui so fazer uma consulta pra nao escrever besteira e ficou tao interessante que resolvi colocar o papo em vez de falar "O kuni me disse que..."

Para Karuzo: pois eh, quem clicar em Kuni vai mesmo levar um susto. Mas ao ler o texto vai dar pra entender, ne? Quando a Karina entrevistar o Kuni eu troco o link.

Para Karina: nao foi golpe! E a sua entrevista ia ser sobre o Kuni. Acho que foi por isso que ele ficou timido.

 
At 6:43 PM, Blogger Emerson Wan said...

Caras,
soube da historia dos carimbinhos só quando cheguei no Japon.
Sobre a assinatura, nem sabia que japones assinava, nem aqui nem no Brasil nem no resto do mundo.
Saber que eles assinavam em kanji me foi uma coisa impensável.

Só no Tokyo Passion eu vejo essas coisas loucas... Já virei fã do blog!

 
At 11:16 PM, Blogger Para o alto e avante! said...

Adorei tambem o bate-papo com o Kuni! Uma super entrevista, sem ser entrevista. Bela sacada!

E a historia do carimbo eh realmente muito interessante neh?

Bjos

 
At 7:25 AM, Blogger Maíra said...

Adorei os tais crimbinhos, mas me diz uma coisa, se é vendido até no 1,99 japa, como faz qdo duas pessoas têm o mesmo nome e o mesmo carimbo, mesmo que seja reconhecido firma?

Também gostei da entrevista. Não sabia que era aceito assinaturas em kanji no Brasil! Interessante!
Bjinhos

 
At 2:20 PM, Blogger Paulo said...

Transcrever o bate papo foi uma sacada genial!
O texto principal já estava ótimo de ler e o bate papo fechou com chave de ouro.

Ouvi falar que ao registrar o carimbo na prefeitura, ele recebe uma marca que o torna único, inviabilizando falsificações. Mas não sei se a informação procede...

 
At 10:12 PM, Anonymous Raquel said...

PARA EMERSON WAN: pelos meus cálculos, já era pra você ter voltado de férias, mas agora tá difícil de eu largar esse blog...

PARA PARA O ALTO E AVANTE: e o seu carimbinho, como é? Vem com o S do Super Ewerthon?

PARA MAIRA: Oi, sumida! Que bom que você voltou! Esqueci de fazer essa pergunta pro Kuni, né? Imagina o problemão que teriam os Tanakas e Suzukis. Mas aposto que eles têm um jeito...

PARA PAULO: Obrigada! Vou confirmar como é essa história da marquinha no carimbo.

 
At 11:42 PM, Anonymous Shigueko said...

Adorei, adorei, adorei o post!! Gente, entrei aqui pra ver se tinha post novo, mas acabei q estou colocando em dia todos os anteriores!! Nao consigo parar de ler, Raquel!! Nunca tinha parado pra pensar em como os japoneses faziam, q engracado!! Tbem achei um barato vc colar o bate-papo e a sua assinatura eh super-fofa!! ;P Ai, a minha eh tao comum...

 

Post a Comment

<< Home